IBSA – Instituto Brasileiro de Sociologia Aplicada

GARANTIR OS DIREITOS DAS CRIANÇAS À ALFABETIZAÇÃO NA IDADE CERTA

2021

                                                                                                                                                    Cesar Callegari

ESTUDO INÉDITO ELABORADO PELO INEP ( censurado pelo governo) APONTA PARA O ÊXITO DO PNAIC, DESCONTINUADO PELOS GOVERNOS TEMER E BOLSONARO.

Pesquisa inédita produzida pelo INEP mostra os impactos positivos do PNAIC – Pacto Nacional para Alfabetização na Idade Certa, uma das principais estratégias do Governo Dilma para o enfrentamento do analfabetismo no Brasil.

O Estudo de número 48 integra a série “Textos para Discussão” sob o título “Avaliação Econômica do Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa” e teve sua publicação suspensa por ordem da diretoria da instituição.

O PNAIC foi criado com o objetivo de garantir a alfabetização de todas as crianças no máximo até o 3º ano do ensino fundamental e mobilizou 250 mil professores alfabetizadores com um orçamento inicial de R 2,6 bilhões.

Em sua avaliação, os pesquisadores do INEP Renan Gomes de Pieri e Alexandre André dos Santos concluíram que “o programa funcionou bem e atingiu seu objetivo de acelerar a alfabetização das crianças na idade correta”. Na análise de retorno e econômico, encontraram um saldo positivo de R$ 118,48 por aluno afetado, o que corresponde a uma taxa interna de retorno (TIR) de 15%.

Concebido na gestão Fernando Haddad e construído em 2012 na gestão do Ministro Aloizio Mercadante,  o PNAIC foi implementado a partir de 2013 envolvendo seis dimensões fundamentais: articulação de todas as secretarias estaduais de educação e cerca de 5,5 mil secretarias municipais; formação em serviço de 250 mil professores alfabetizadores com a participação de universidades públicas e concessão de bolsas de estudos; produção de material específico para essa formação; fornecimento de livros, material didático e organização de bibliotecas de literatura infantil nas escolas; a criação da Avaliação Nacional de Alfabetização – ANA; e um sistema de gestão integrada em todo o território nacional. Como Secretário de Educação Básica do MEC tive a honra de coordenar a equipe responsável por sua construção.

Apesar da ampla participação dos professores e dos resultados iniciais promissores, o PNAIC foi descontinuado da gestão Temer e liquidado no governo Bolsonaro em sucessivas e desastrosas gestões do MEC. Nesse tema, o único objetivo do atual governo parece ser o de tentar impor aos professores brasileiros um  único e limitado método de alfabetização, desrespeitando sua autonomia e a diversidade das situações de aprendizagem.

A alfabetização de crianças na idade certa é ainda um dos grandes desafios de políticas educacionais no Brasil. Trata-se de uma das principais metas do Plano Nacional de Educação.

Resultados mais recentes da ANA, mostram que mais da metade das crianças brasileiras concluem o terceiro ano do ensino fundamental sem a proficiência básica em língua portuguesa e matemática, quando todas já deveriam estar alfabetizadas. Este quadro é dramaticamente mais grave para as crianças de nível socioeconômico mais baixo. Entretanto, os dados mostram que políticas focadas para esse segmento, com apoio decisivo e continuado aos professores alfabetizadores, têm logrado êxitos notáveis em vários estados e municípios brasileiros.

O abandono dessa prioridade pelo atual governo é um crime de lesa-pátria a condenar milhões de crianças e jovens a uma cidadania precária. Qualquer programa de reconstrução nacional passa por garantir os direitos educacionais das crianças e jovens, sobretudo daquelas que se encontram no momento de sua alfabetização, pedra angular de todo sistema educativo.

4 comentários em “GARANTIR OS DIREITOS DAS CRIANÇAS À ALFABETIZAÇÃO NA IDADE CERTA”

  1. Maria da Glória Pinheiro dos Santos

    Devemos mudar esse olhar,
    Mudar essa situação,
    É muito triste saber que como professora não tenho autonomia na sala.
    Tem que haver meios que as pessoas possam entender se não há professores não existe aluno, se não existe governo não há Educação.

  2. Maria da Glória Pinheiro dos Santos

    Nesse processo a educação integral , apresenta características importantes a sua realização. A primeira e que a Educação precisa ter relação com a vida cotidiana relaciona ao contexto histórico cultural dos sujeitos, de modo que o currículo seja readequado para reconhecer riqueza dos saberes onde a escola se insere

  3. Maria da Glória Pinheiro dos Santos

    A arte é universal, através da arte o aluno se expressa , trabalha traços, sons, formas, existem outros campos a observação, o relato , a conversa e pode deixar brincar livremente .
    Através do brincar a criança desenvolve suas habilidades
    O ensino e aprendizado.

  4. Maria da Glória Pinheiro dos Santos

    Segundo Albert
    Brincar ė a maior fonte de pesquisa.
    Por que atendemos, escuta, fala, pensamento, e imaginação.
    Deixar que eles brinquem, proporcionar brinquedos simples que possa aguçar a curiosidade da criança.
    Um saquinho com furinhos para que a criança assopre e sinta o ar sair, um saquinho com água colorida,
    Uma garrafa furada com água simbolizando um chuveirinho. Tudo isso são experimentação.
    Eu trabalho corpo, gesto, e movimentos, trabalho sensações as sinapse estão recebendo todas as informações.
    Estão em constante desenvolvimento
    Estou trabalhando o aprendizado social

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

EM FOCO